fbpx
  • Dublado versus legendado

    Quando comecei a me aprofundar no estudo do Inglês, percebi que a minha maior dificuldade não estava na compreensão escrita da língua, mas sim na minha capacidade de falar e compreender o Inglês oral. Eu era perfeitamente capaz de entender um texto escrito, porém, não tinha capacidade (ou treino) para ver um filme em Inglês sem que ele estivesse dublado ou legendado em Português.

    Image courtesy of Ambro / FreeDigitalPhotos.net

    No Brasil, infelizmente, somos habituados a ver filmes dublados. Quando somos crianças, e ainda não temos a nossa capacidade de leitura desenvolvida, fica claro que a dublagem é necessária. Contudo, conforme crescemos, o paradigma não muda. Os filmes continuam a ser dublados, muito embora haja um movimento que luta pelo fim dessa imposição da dublagem.

    Claro que, se pensarmos nos níveis de analfabetismo, a dublagem continua sendo uma forma barata de trazer o que é internacional para o Brasil, sem fazer com que uma parcela da população se sinta excluída. De acordo com dados divulgados em 2012, referentes à pesquisa efetuada pelo IBGE em 2011, 8,6% da população brasileira, com 15 anos ou mais, é analfabeta. Verifica-se uma queda de 1,1% em relação a 2009, quando a taxa era de 9,7%. Contudo, ainda existem 12,9 milhões de brasileiros que não sabem ler e escrever. Por isso, faz sentido colocar a hipótese de que um dos motivos pelo qual o império da dublagem se perpetua é o número de analfabetos, ainda que países com índices de alfabetização superiores aos do Brasil também apostem na dublagem.

    É engraçado pensar nisso hoje em dia, mas apenas quando já era adolescente é que tomei consciência do quão prejudicial é essa cultura da dublagem. Estava tão habituada a ver os filmes assim que, quando comecei a ver filmes legendados, senti dificuldades em acompanhar a história e ler ao mesmo tempo. Até parece ridículo dizer isto, mas vivemos em um país onde as pessoas se tornam fãs de determinados atores e atrizes, muitas vezes, sem sequer ter ouvido a voz dessas pessoas! Como é óbvio, isso não acontece apenas no Brasil. Espanha e França são ótimos exemplos de países onde a dublagem de filmes e séries também é comum, mas não é porque eles fazem que a gente tem que continuar fazendo, né?

    Embora isso seja pouco divulgado, vários estudos (como este) apontam para os benefícios da exposição de pessoas que estão aprendendo Inglês à filmes e séries legendados, preferencialmente em Inglês, para que o aluno tenha acesso aos diálogos tanto por áudio como por texto, facilitando o desenvolvimento do seu nível de compreensão oral e escrita daquela língua estrangeira. Daí que seja fundamental, quando o objetivo é realmente aprender Inglês, que o indivíduo experimente começar a ver filmes com legendas, sejam elas em Português ou Inglês.

    No começo, ver filmes com legendas em Português ajuda a que você relacione o que está sendo dito com a tradução que foi feita, mesmo que, em alguns casos, as traduções possam ser enganadoras. Mais para frente, quando você já se sente à vontade com o Inglês escrito, ter acesso a filmes com legendas em Inglês permite que você associe o que está escrito com a pronúncia e treine o ouvido para construções que podem induzir a erros de compreensão, como acontece frequentemente com músicas.

    Tendo isso em mente, se você ainda está preso aos filmes e séries dublados, mas quer mesmo aprender Inglês, comece o seu ritual de libertação e abrace o mundo das legendas, porque, se você se aplicar no aprendizado da língua, até elas serão desnecessárias.